fbpx

“Comer, beber, dançar e amar…”

Se existe algo bastante apurado no dia a dia do brasileiro é esse tal de paladar.

Se junto a ele acompanhar o olfato pronto, eis que tens a melhor (e mais saborosa) das sensações.

Fonte de inspiração para cozinheiros do Planeta todo, a eclética cozinha brasileira tem exatamente tudo aquilo que podemos pensar em termos de sabores e delícias.

Do salgado ao doce você pode viajar em absolutamente toda a combinação possível e muitas vezes inimaginável.

Sorte nossa.

Porém existe uma época do ano onde todas as ofertas do que existe de mais gostoso aos paladares mais exigentes estão concentradas: os Festejos juninos!

Incrível a familiaridade que temos com eles.

Não existe alma festeira que não condense nela os sabores das comidas e das bebidas.

Exemplo?

Pense em todas as possibilidades culinárias que o milho é capaz de nos dar.

Cozido, assado, como bolo, no cuscuz….

Pensou?

Pois bem, quero acreditar que ainda outras não pensadas lhe serão apresentadas.

Agora o amendoim.

Frito, na paçoca, na batida, no pé de moleque…

Incrível essa capacidade quase ilimitada de se usar algo aparentemente tão simples.

É claro que você sabe onde encontrar tudo isso e mais um pouco num só momento de um só lugar, não sabe?

As comidas variadas que viajam do salgado ao doce em apenas alguns centímetros da distância de barracas deliciosamente distribuídas dão as Festas Juninas o seu verdadeiro sentido.

Ousaria dizer que sem a música, sem as bandeirinhas penduradas, sem os vestidos e camisas xadrezes, sem os chapéus de palha, ainda assim, tendo comida, estaríamos plenamente realizados, na solução do sempre “barriga cheia, felicidade intensa”.

Agora me diz, consegues sentir o cheiro de tudo isso que falamos?

Tenho certeza que sim, afinal poucas coisas tem odor tão familiar e reconhecível quanto a pamonhas, doces vindos do amendoim, canjica, milho sendo assado na grelha e todo um universo de delícias prontas a serem devoradas sem nenhuma moderação.

Ah! Experimente fazer o teste do cheiro e entre tantas delícias advinha-las com os olhos vendados?

– Hummmm… vejamos… pamonha!

– Agoraaaaaa… amendoim torrado!

Estique o olfato pro lado e adivinhe o que sai do bule gigante, fervendo…

– Quentãoooo!

Cheiros, sabores, cores, formas, que dão aos alimentos um sentido pra lá de amplo quando juntado a tudo que envolve os festejos juninos.

Deu água na boca?

Então “bora” organizar em casa mesmo, na companhia apenas dos seus e adaptado a nova forma de se reunir, uma “Fest-Home Junina”?

Mesa posta e arrastada pro canto da sala, forró no Spotify, calça jeans, camisa xadrez sem a necessidade da bota no caso e pronto, afinal, o que não se pode hoje entregar no ideal, que seja no possível.

Teu coração, mente e logicamente o estômago agradecem.

(Roney Altieri)

Leave a Reply