fbpx

(Não mais) Represados

Pensei em alguns termos que pudéssemos utilizar em grande parte e em coisas que temos a fazer depois do longo período de confinamento.

Certo que ainda são necessários todos os cuidados para que possamos definitivamente nos livrar do tamanho mal que assolou o Planeta, porém aos poucos voltamos a realizar e fazer coisas há tanto tempo… represadas.

Sim, eis a palavra: represados!

Conseguimos imaginar o quanto de coisas, antes normais a nossa rotina, substituímos por trabalho em home office, reuniões familiares virtuais, atividades esportivas limitadas ao espaço da casa, consumo em “e-commerce”?

Sim, mesmo e apesar de todas as dificuldades e em muitos casos sofrimento, acabamos por nos adaptar a uma nova maneira de viver.

Agora voltamos a olhar pra rua com olhos de quem quer usá-la intensamente. Na verdade nós necessitamos usá-la intensamente.

Represados por quase dois anos nossos sentimentos, nossas sensações, nossos desejos e vontades e as acumulamos de tal forma, que agora essa energia necessita ser gasta, usada, dentro de um tempo que se já era importante antes de vivenciarmos o mal que nos assolou, agora se tornou precioso.

Com o fim do confinamento, veio a primavera e com ela, o Sol.

Agora imagine a cena… você preso por meses, triste, angustiado, amedrontado, tendo vivido todas as aflições possíveis a um ser humano em tão curto período da vida e que agora se vê diante da porta entreaberta, num dia acalorado, com as pessoas a passearem com seus filhos e cães pelos parques, com os bares aos poucos recebendo gente ávida por estar junto a outra.

E eis que a ordem é romper a represa!

Que tal aquela turma de ciclismo que há tanto você hesita em acompanhar?

E a mochila nas costas pronta a enfrentar as trilhas mais deliciosas rodeadas por árvores e que presenteiam você ao final com uma bela cachoeira?

És mais urbano?

Não tem problema.

Que tal chamar os amigos para uma quadra de areia a praticarem aquele futevôlei, a nova e adorada modalidade esportiva inclusive para aqueles que não tem praia por perto?

– “Sabe Roney, eu prefiro uma boa caminhada mesmo pelo quarteirão de casa!”

Ótimo!

Então não deixe de fazê-la.

Está mais naquela fase menos “fitness” e mais de viver intensamente todos os prazeres que a nossa tão sensível e bela vida oferece?

Faça!

Churrasco com os amigos para relembrar aqueles deliciosos momentos vividos à base de muita alegria e regados a cerveja bem gelada?

Que tal a feijoada de Sábado, acompanhada de bom pagode e degustada com aquela caipirinha de te fazer sorrir por horas?

– “Olha Roney, não troco uma boa massa por nada!”

Então prepare a pizza, faça aquele nhoque que há muito te espera ou prepare o tradicional espaguete abusado de molho bem vermelho…

Ah! Não esqueça do vinho.

Massas não se sentem bem sem a presença dele.

Amigo represado, abra as comportas!

O teu corpo pede isso, a tua mente precisa disso e a tua alma, nunca esteve tão ávida por viver novamente tudo isso.

@roneyaltieri

Leave a Reply